Tendências e desafios atuais no tratamento e terapia do câncer com nanomateriais - Ciência e Engenharia de Materiais

Hot

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Tendências e desafios atuais no tratamento e terapia do câncer com nanomateriais

Resumo: Os avanços na nanotecnologia estão abrindo novos horizontes no campo da medicina, as nanopartículas que transportam medicamentos são o futuro para o tratamento e a terapia, não só do câncer, também de outras doenças.


A aplicação de nanomateriais na medicina emergiu como uma área de grande interesse para o tratamento de doenças que nos últimos anos foram abordadas de maneira muito limitada. Nesse paradigma, a nanotecnologia está sendo adotada para obter um suprimento eficaz de medicamentos, estabelecer novos diagnósticos in vitro e desenvolver implantes baseados em nanoescala.

O estudo em nível molecular dos fenômenos biológicos associados ao câncer nos permite uma melhor compreensão dos mesmos; assim como o desenvolvimento de novas alternativas para que no futuro possam melhorar a expectativa de vida e controlar a doença, com o uso das ferramentas nanotecnológicas disponíveis, isso está se tornando cada vez mais uma realidade.

Existem vários métodos para a síntese de nanopartículas, o fármaco ou principio ativo podem ser incorporados por absorção, adsorção, encapsulamento ou por ligações covalentes, isto, dependendo das propriedades físicas e químicas das nanopartículas utilizadas, já que estão intimamente relacionadas à sua eficiência de desempenho.

Atualmente, houve um progresso significativo no uso de nanomateriais, projetados para o tratamento de câncer com alta especificidade, sensibilidade e eficácia. Eles podem atacar previsivelmente as células cancerígenas e fornecer cargas úteis encapsuladas de forma eficaz, com distribuição controlada e, em alguns casos, até seletiva, o que é alcançado através da modificação de sua composição, tamanho, morfologia e química da superfície.

Até o momento, vários tipos de nanomateriais, sejam poliméricos, nanopartículas metálicas, materiais à base de carbono, lipossomos e dendrímeros, demonstraram perfis farmacocinéticos e farmacodinâmicos melhorados, em relação às formulações convencionais. Assim, os dados presentes na literatura sugerem que a nanotecnologia fornecerá plataformas de nova geração para tratamento do câncer e terapia contra essa condição.

Prevê-se que os nanomateriais revolucionem todo o sistema de saúde com base nos dramáticos desenvolvimentos realizados no setor de suprimentos de fármacos nas últimas décadas. No entanto, o design de um nanoterapêutico eficaz contra o câncer continua sendo um grande desafio, e apenas algumas nanoformulações entraram em ensaios clínicos. 

Apesar das inúmeras vantagens da terapêutica do câncer em escala nanométrica, a tradução clínica dessas nanomedicinas continua sendo uma missão desafiadora. Devido à falta de entendimento da toxicidade e do comportamento in vivo das nanoformulações, os ensaios clínicos estão passando por contratempos significativos. Com esse panorama, pode-se imaginar que é possível melhorar os materiais para nanomedicina da próxima geração por meio de um design inteligente, e novos desenvolvimentos podendo fornecer melhores estratégias de gerenciamento do câncer.

Referência:
P. N. Navya, Anubhav Kaphle, S. P. Srinivas, Suresh Kumar Bhargava, Vincent M. Rotello, Hemant Kumar Daima. Current trends and challenges in cancer management and therapy using designer nanomaterials. Nano Convergence, 2019; 6 (23): DOI: https://doi.org/10.1186/s40580-019-0193-2

Redação: Guillermo Lugo